30 abril, 2007

Mais novas sobre Iwo Jima



E pronto! Fiquei completamente apanhada! Absolutamente humano, até nas misérias mais miseráveis e intrinsecamente fisiológicas e profundamente psicológicas.
A mesma história contada pelo ponto de vista japonês mas que necessita do 1º filme para ser totalmente percebido, o que se calhar quer dizer que não há realmente dois lados.
Quererá dizer que, em termos de guerra, não pode haver duas perspectivas?

28 abril, 2007

Clint Eastwood e Iwo Jima



Esta imagem bonita da ilha não tem nada a ver com as que vi, na semana passada no Cineclube, no filme " As bandeiras dos nossos pais". Normalmente não gosto de ver filmes de guerra, principalmente se retratarem factos reais, porque me impressionam muito.
Neste caso consegui ver até ao fim. Talvez por ser do Clint Eastwood. Ele tem uma forma muito peculiar de ver o mundo e principalmente de ver o mundo composto pelos seus concidadãos norte-americanos. Desmonta, desmascara, critica e nunca deita abaixo. Talvez por ser de lá consegue entendê-los, coisa que eu já não consigo.
Enfim, amanhã volto ao Cineclube da vila para ver o segundo filme, "As cartas de Iwo Jima"e confirmar uma vez mais que sou fã deste homem.
Aconselho vivamente.

27 abril, 2007

O nosso país é mesmo pequenino!

Quando li que os funcionários públicos estavam a ser aconselhados a denunciar casos de corrupção e que havia um livro que dizia como e o que denunciar fiquei um pouco perplexa, mas o meu pensamento parou aí e ficou tudo num limbo.
A seguir fiquei a saber o que se passou em Lisboa no dia 25 de Abril com a polícia a voltar ao 24 de abril de 74 com toda a força!
Hoje de manhã, quando acordei, comecei logo a pensar nos vários acontecimentos dos últimos dias e ainda não tinha acabado o pequeno almoço cheguei à conclusão que toda a cena relativa à denúncia era apenas o legitimar duma coisa feia, apanágio dos poderes absolutos e mesquinhos. E estranhei não ter ainda lido ou ouvido ninguém a defender a mesma tese. Finalmente, há pouco, quando acabei de ler o Público li a habitual crónica do Vasco Pulido Valente e lá estava a mesma opinião. Já não estou só nos meus pensamentos.
Somos mesmo um país governado por mentes pequeninas, pois o país apesar de pequeno é composto, como todos os outros, por humanos de qualidade, na sua maioria.

24 abril, 2007

Interessante e politicamente incorrecto

Leiam com atenção que vale a pena http://e-konoklasta.blogspot.com/2007/04/palavras-que-valem-mil-imagens-num-dos.html#links .

Em 1974, nesse dia tinha 13 anos...



E apesar disso é dos poucos dias da minha vida de que me lembro com mais pormenores. Ainda fomos para o liceu, de bata, claro! Tive aula de Físico-Química logo às oito e meia e por volta das nove já não se conseguia dar aulas. Foi uma funcionária à aula informar que havia tiros na baixa do Porto. Depois comecei a chorar porque a minha mãe trabalhava na baixa. O professor Carlos Lima, que já era velhote e nós achavamos que era antipático, veio-me consolar, como se fosse meu avô!

Antes das nove e meia mandaram-nos para casa e quando cheguei lá, com a minha irmã, já estava tudo em casa. Passamos a manhã na cozinha a ouvir rádio e a tomar pequenos almoços.

Passei as noites seguintes a ver televisão com a minha mãe e a crescer muito depressa: afinal aqueles homens todos, normalmente gordos e carecas, que apareciam nas notícias eram piores do que aquilo que lhes chamava-mos habitualmente - os besuntas - faziam mal aos outros e chamavam-lhes fascistas.
Ainda hoje gosto de ouvir a música que ficou conhecida como a marcha do MFA.

18 abril, 2007

Zeca Afonso - 20 anos depois: concerto

Demorei a decidir, mas acho que vale a pena rever isto. Todas as referências ao Zeca não são demais; ele era realmente um português fora de série e uma pessoa excepcional ( com ou sem 25 de Abril).

13 abril, 2007

José Afonso

Aqui http://www.aja.pt/, site oficial do José Afonso, tem uma ligação que diz "Acordes" e que é uma pasta em PDF com as letras e respectivos acordes de canções do Zeca. Mesmo para quem tem muita coisa como eu , esta pasta é um maná , pois está organizada e tem os arranjos do próprio Zeca e as tonalidades em que ele as tocava.
Não podia deixar de partilhar isto, claro!

12 abril, 2007

Trapos velhos

http://www.educare.pt/educare/Opiniao.Artigo.aspx?contentid=40883347FB034C86A17B344A73C15C55&opsel=2&channelid=0 . Através deste link pode-se perceber como o ME converteu em lei o processo perverso de dar um pontapé nos professores menos afortunados em termos de desgaste e saúde.
Não é nada de novo hoje em dia: "os mais velhos não servem para nada" tem sido o lema da sociedade actual; atira-se para um canto como um trapo velho.

10 abril, 2007

Piadas ministeriais!

http://antero.wordpress.com/2007/04/03/a-tia-sirene/, este link leva a uma página dum sítio que eu não conhecia e como me ri a bom rir, não resisto a pôr aqui para vocês.

06 abril, 2007

Sócrates e o seu curso

Estou a ficar cada vez mais espantada como é que alguém que se candidata a cargos de poder, com tanta responsabilidade e visibilidade tem " o rabo tão preso".
Começo, por outro lado, a pensar na vergonha porque os portugueses vão mais uma vez passar, fora das nossas fronteiras, com os comentários veículados pela imprensa. Isto para não falar da falta de credibilidade do nosso sistema de ensino superior.
Não é que lá fora não se façam coisas destas; claro que se fazem e nós não somos piores ou melhores. Mas gostavamos de ser melhores! E vem aí a presidência da UE. Como é?
Não entendo mesmo como é que um homem com um discurso tão assertivo, que ainda por cima ataca todos e qualquer um, convencido (parece-me) que tem razão, não se lembrou que toda a sua vida ía ser esquadrinhada! E não vale a pena dizer que é a sua vida privada, porque na área da sua formação os pergaminhos têm de ser públicos, primeiro porque deveriam provar competências e capacidades e segundo deveriam provar autoridade no conhecimento de várias matérias.
Assim está tudo posto em causa, já para não falar dos escândalos que envolvem as escolas privadas de ensino superior.