14 maio, 2007

A Sonata de Liszt



No próximo sábado pretendo ir ver o Filipe Pinto-Ribeiro à Casa da Música. Devo dizer que não conheço o pianista e estou, depois de ver a página na net, admirada como é que me passou ao lado. Eu sei que não viver no Porto tem os seus custos e que viver alguns anos na aldeia também não ajudou muito. Pronto já disse, sou muito ignorante!


O problema é que a dita sonata tem muito que se lhe diga e para mim, que conheço várias versões ( e mesmo não tendo dedos para tocá-la, conheço-a muito bem) tem ainda um problema acrescido: é que ainda hoje, mesmo depois de ouvir os ditos "grandes" pianistas, a melhor interpretação que tenho na minha memória é a da minha professora de piano.´

É verdade, a minha professora de piano foi uma grande pianista a quem nunca foi dado o reconhecido valor como tal neste país pequenino.

Sim, estou a falar da Manuela Araújo!

Há uma outra peça que também nunca mais ouvi ser tocada como ela o fazia: os "Quadros duma Exposição" de Mussorgsky.
Depois conto como foi, mas sem pretensões a crítica musical.

3 comentários:

  1. pois é. neste pequeno país é dificil ter reconhecimento.

    ResponderEliminar
  2. Ok Ticha, percebi a mensagem! Há coisas realmente que são mais difíceis de verbalizar do que outras. Agradeço o teu comentário.

    ResponderEliminar